Chris_puma-01
@mcchrislflow é diretor de arte, stylist, músico, publicitário e tudo mais o que você quiser chamar – um Canivete Suiço que está sempre no corre fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo. Conversamos com ele sobre seu @puma Sega RS-0 Sonic, um tênis que remete a sua infância, mas que ao mesmo tempo reflete sua vida atualmente.
FOTOS POR PÉROLA DUTRA

“Meu vulgo é Chris, mas o meu nome é Samuel e tenho 27 anos. Me formei em Marketing e sou especializado em Marketing Digital. Aprendi Design, Comunicação, tudo isso na marra, eu não tinha o sonho de ser profissional de Marketing, mas abracei a oportunidade e gostei (risos). Eu já tinha essa paixão por cores, por design, por estrutura, arquitetura, gosto de ter esse contato com tudo o que está relacionado a arte. Trabalhando com Marketing, percebi que estava rolando uma ascensão bem legal no mercado da moda, e meu amigo Alex que hoje também é meu sócio, me chamou para fazer um editorial, comentando que eu tenho uma visão muito legal e organizada, com o objetivo de fazer algo com a nossa cara – fiz, gostei e além do meu trabalho, é isso que eu faço agora.

Além disso adicionei uma outra função, que é de stylist. Gosto de combinar, gosto de produzir, gosto de pensar em roupa e consequentemente gosto de pensar em tênis. Eu já tinha essa paixão por tênis, mas não estava acompanhando o mercado de fato e tive que voltar a ativa.” 

De onde surgiu o nome Chris?

Começou na verdade do seriado “Todo Mundo Odeia o Chris”, meus amigos começaram a me chamar assim, o que não tem nada a ver com o meu nome. Mas depois eu transformei em sigla, que significa ‘Com Humildade Realizo o Inesquecível Sonho’. Eu tive um sonho sobre isso e pensei que posso realizar qualquer coisa, posso fazer qualquer coisa, tudo o que eu quiser. É um sonho que veio de um sonho, é bem doido (risos). Tenho até uma música que fala sobre, que escrevi pro meu coletivo chamado Louvo no Flow

O que é a ID Prod.?

A ID é uma produtora criativa, com trabalhos que podem estar voltados para a moda, arte, audiovisual, para o editorial – fazemos de tudo. Temos também uma parte em que fazemos gestão de identidade, como por exemplo, se você tem que se vestir para uma festa e não quer repetir roupa, assim como também você não quer comprar roupa, fazemos um estudo do seu estilo e pensamos na sua identidade para aquele dia. É um serviço bem personalizado. É como se fosse uma locação de acervo, mas a gente não faz a locação, fazemos toda essa gestão de um stylist por dia, como uma assessoria mesmo.

Queremos romper algumas barreiras, atuamos bastante no mercado da moda e queremos expandir para outros mercados, fazendo produção criativa para outras áreas. Até podemos competir por espaço no mercado de moda, mas para nós, se tiver criatividade é aonde queremos chegar, é o que queremos fazer. 

QUEREMOS ROMPER ALGUMAS BARREIRAS, ATUAMOS BASTANTE NO MERCADO DA MODA E QUEREMOS EXPANDIR PARA OUTROS MERCADOS, FAZENDO PRODUÇÃO CRIATIVA PARA OUTRAS ÁREAS.

Você lembra quando e como começou seu interesse por moda e por tênis?

Começou em casa, minha mãe sempre comprava em bazar e eu ia junto. Ela pegava algumas peças, eu gostava de algumas também e comecei assim. Mas eram peças aleatórias, não tinham um estilo, eu comprava porque era barato.

Quando comecei a me interessar mais por Hip Hop, percebi que as coisas tinham um estilo muito específico – tanto pros DJs quanto pros Bboys. Lembro que uma vez eu vi uma foto do Mark Ecko e pensei “Como é que esse cara se veste com tantas cores assim? Eu também quero” (risos). Hoje eu já consigo entender melhor como ele fazia aquelas combinações, tanto de tecido, tanto como cor e até estilo de roupa.

A gente vai vivendo e algumas vezes deixa coisas em off, esse interesse foi uma dessas coisas, mas quando conheci o Alex, ele me falou que eu estava desperdiçando meu tempo trabalhando com Marketing e que eu precisava trabalhar com styling

E você lembra qual foi o momento que você percebeu que gostava de tênis?

O primeiro tênis que eu consegui adquirir assim, foi por volta da quinta série. Naquela época a moda era o Adidas ‘Aranha’ (Hellbender), chamávamos ele assim porque ele parecia ter uma teia de aranha do lado (risos). Ele foi a minha primeira paixão, além de que, todo mundo na escola tinha. Entrei na onda talvez para pertencer a algum grupo, pra me sentir parte, e foi logo depois que eu consegui, que percebi que todo mundo tinha e que não tinha nada a ver comigo.

Naquela época o inalcançável era o Nike Shox, tanto o de 4 quanto o de 12 molas, esse é um tênis que eu nunca cheguei a ter. E para ir para algo diferente comprei meu primeiro Climacool, que já era de uma coleção bem mais antiga da Adidas, mas que só eu tinha. Foi assim que comecei com essa coisa de tênis exclusivo, com uns 16 anos de idade.

Fui expandindo a coleção a partir daí, não tenho uma ideia de tênis e marca, eu gosto de bater o olho, colocar no pé e ver se dá certo ou não. 

EU SEMPRE FUI UMA PESSOA BEM COMPETITIVA, SE É PARA FAZER, VAMOS FAZER DA MELHOR FORMA, ATÉ MESMO NO PEGA-PEGA (RISOS). E ISSO TAMBÉM VALIA PARA QUANDO EU JOGAVA O SONIC, EU PEGAVA TODAS AS ARGOLINHAS E ISSO QUASE QUE FAZIA EU ME SENTIR RICO.

E o que esse Puma Sega RS-0 Sonic significa para você?

A conexão que tenho com esse tênis é de um desejo de criança, sempre quis ter um chinelo do Sonic e nunca tive (risos). Ao invés disso minha mãe me deu um video game, o que é muito mais válido. Mas quando eu vi esse tênis eu senti que precisava ter. Eu sempre fui uma pessoa bem competitiva, se é para fazer, vamos fazer da melhor forma, até mesmo no pega-pega (risos). E isso também valia para quando eu jogava o Sonic, eu pegava todas as argolinhas e isso quase que fazia eu me sentir rico.

Hoje na vida real o meu corre é outro, eu preciso fazer um corre pra uma boa direção de arte, para uma gestão excelente, preciso dar o meu melhor no meu trabalho e na minha casa, então eu tô correndo por essas coisas. O ambiente não é o mesmo, mas a minha sensação é a do ouriço que sai pegando dinheiro e fazendo o seu próprio corre, por isso me identifico tanto com o Sonic.

No dia que fui comprar, na hora que eu tirei ele da caixa, a sensação foi de abrir a Caixa de Pandora, sabe? A sensação de “Caaaaaaraca, como assim?”. Eu coloquei no pé e falei na hora que iria comprar, foi assim, não tive que pensar muito, foi amor à primeira vista mesmo. Desde quando saiu a primeira foto já tinha sido, mas quando eu coloquei no pé não consegui resistir.

@puma Sega RS-0 Sonic
Comprado: 2018
Dono: @mcchrislflow
📸 Pérola Dutra