“Meu nome é Fernanda e tenho 27 anos. Trabalho em um banco como analista de sistemas e fiz faculdade de química. Gosto de sair, de ouvir música, de ir em shows e moro em São Paulo desde que eu nasci.”

Fernanda, qual a sua relação com tênis no geral?

Pra mim tênis está presente desde que eu nasci, desde que eu me entendo por gente eu uso. Eu estudava em colégio católico e tinha aquela padronagem em que a gente só podia usar tênis branco, e acho tênis branco uma merda porque suja pra caramba. Depois de um tempo eles mudaram a regra e então liberou o tênis todo preto também, desde então eu só uso tênis preto na minha vida. Todos os meus tênis são pretos.

Eu me sinto muito à vontade com tênis, como eu trabalho de roupa social e tudo, não é toda vez que tenho a oportunidade de usar tênis. Esse também é o único calçado que não me dá chulé, usar sapato social é uma merda porque tem que colocar talco e etc; tênis não, é só colocar uma meia que tá tudo certo. Eu sou eu mesma com um tênis, quando eu coloco um sapato social minha personalidade muda eu fico um pouco formal (risos).

Um problema é que todos os modelos que amo, tem o masculino em preto e o feminino não, eu fico puta da vida! Parece que mulher não usa preto né, dá muita raiva. Tem rosa, azul, cinza, mas nunca tem preto.

E qual a sua relação específica com esse All Star?

Esse é o meu segundo All Star, o primeiro eu ganhei quando tinha uns 13 anos. Gostava tanto dele que eu não o usava no colégio, ele era só para os finais de semana. Me sentia bem a vontade com ele, era meio metaleira na época então eu ia na Galeria do Rock com ele e me sentia muito bem.

Ele acabou ficando tão velho que tive que comprar o segundo, quando eu tinha uns 20 anos mais ou menos, e fiz questão de ser igual ao primeiro, até fiquei meio desesperada porque ele começou a sair de linha na época e tive que procurar em vários sites pra conseguir. Quando chegou o Natal minha avó me perguntou o que eu queria de presente, respondi “me dá esse tênis” e ela perguntou “mas você quer esse mesmo, não quer mudar?” e disse que “não, eu quero esse mesmo, igual”.

Tenho o tênis agora há 7 anos. Ele fez a faculdade comigo, já enfrentei greve da faculdade, já caiu produto químico, já tá todo ferrado, desbotado e verde né. Todos os shows de bandas que gosto eu fui com ele, ia trabalhar em um laboratório com ele, conheci o meu namorado com ele, esse tênis fica no meu pé – ele é praticamente a segunda camada do meu pé. Eu não faço nada sem ele, é muito legal (risos).

Eu adoro, é o meu xodó. Comprei um novo mas não uso, não tem jeito (risos). Não é um igual a esse All Star, é mais estilo “skatista”, todo preto também. Mas esse aqui toda a hora que eu o vejo lá no armário, não consigo largar.

Você tem alguma história específica com ele?

Ele já enfrentou todas as minhas crises de faculdade, como eu estudava na USP era terra pura, acho que por isso que ele está nessa cor né. Enquanto eu estudava lá teve uma greve interna pesada e o exército entrou lá e foi aquilo né: povo jogando bomba de gás de efeito moral e eu correndo lá com esse tênis, tentando escapar. E eu nem estava no meio, eu só tava querendo pegar o ônibus pra ir pra casa!

Converse Chuck Taylor All Star
Dona: @fer.cs.89
Comprado: 2009
Tamanho: BR34/US6