FOTOS POR DEKO

"Meu nome é Marcelo, tenho 28 anos e hoje eu gerencio uma distribuidora e importadora de perfumes. Fazer coleção de tênis para mim é um hobby, eu gosto bastante. Eu sempre colecionei coisas, e atualmente está sendo tênis, colecionar me ajuda a tirar o estresse do dia a dia e também fico com aquela sensação de conquista, sabe?"

Você saberia dizer o momento em que você percebeu que realmente amava tênis?

Eu diria que foi por etapas: teve uma época da minha vida que eu amava colecionar cartas, outra época eu colecionava figurinhas; eu tive fases. Mas acho que o tênis sempre foi um objeto que eu curtia, principalmente porque eu jogava basquete – eu via os jogadores usando os tênis do momento, os mais fodas, os mais legais, e isso sempre me inspirou bastante.

Mas aí no final de 2015, eu comecei amar a Adidas e estou focado nos tênis da marca desde então.

CHEGOU UM PONTO QUE EU TINHA 150 TÊNIS E NÃO TINHA USADO NEM 20% DA MINHA COLEÇÃO. EU PERCEBI QUE EU TINHA UM MONTE DE TÊNIS E EU NÃO USAVA QUASE NADA. ENTÃO EU COMECEI A SEPARAR OS QUE EU GOSTAVA DOS QUE EU REALMENTE AMAVA. HOJE EM DIA EU SOU BEM MAIS SELETIVO E SÓ COMPRO E FICO COM AQUELES QUE EU REALMENTE VOU COLOCAR O NO PÉ.

Você comentou que 80% da sua coleção são tênis da Adidas, por que isso?

Eu comecei a me simpatizar com a marca quando eles lançaram o NMD, que foi no final de 2015. Antes do NMD eles lançaram Ultra Boost, que eu achava que era um tênis de performance, e como no momento eu trabalhava muito mais do que eu fazia qualquer outra coisa, eu só comprava tênis para o lifestyle, e o Ultra Boost até naquele momento para mim ele era um tênis de corrida. Quando eu vi o NMD eu falei "nossa que tênis bonito,ele tem toda uma história, ele faz uma releitura de um modelo clássico da Adidas do passado", então eu comecei a gostar e comprar NMD. Logo depois veio o Yeezy com Boost, eu não consegui os primeiros, tipo o 750 OG, ou o Turtle Dove, nem as outras colorways que lançaram na época. Meu primeiro Yeezy mesmo foi o Pirate Black.

Depois disso eu comecei a focar a minha coleção em colaboração – tudo que Adidas fazia em parceria eu comprava, seja com a Invicible, Sneakersnstuff, mas sempre nos modelos de NMD e Ultra Boost. Esse foi o meu foco e a coleção começou cresceu mais e mais. Mas assim né, chegou um ponto que eu tinha 150 tênis e não tinha usado nem 20% da minha coleção. Eu percebi que eu tinha um monte de tênis e eu não usava quase nada. Então eu comecei a separar os que eu gostava dos que eu realmente amava. Hoje em dia eu sou bem mais seletivo e só compro e fico com aqueles que eu realmente vou colocar o no pé.

Mas você não usava por ter muitos, ou porque você tinha dó de usar?

Eu tenho esse problema. Eu tenho muita dó de usar o tênis e estragar ou sujar ele. O NMD OG eu consegui em Dubai, eu tava em um shopping lá, e a moça da loja falou "tem um tênis aqui que esgotou no mundo inteiro, eu tenho uns pares remanescente aqui e acho que poderia te servir". Eu coloquei no pé, achei muito bonito, e levei. Eu só experimentei ele na loja, depois que eu voltei com o tênis e tinha dó de usar, ainda mais sabendo o valor que ele valia na época. Eu tive que comprar 5 do mesmo, ou seja cheguei a ter 6 dele, para conseguir finalmente colocar um no pé e usar. Tem Sneakerhead que compra o tênis e já tem que sair andando com ele no pé. Mas eu não sou assim, para mim o tênis é tipo um troféu.

Qual Adidas você está focando para sua coleção agora?

O 4D. Ele é o modelo que aderiu muito para mim, para o meu estilo e meu pé. Na primeira impressão não foi algo muito confortável, porque ele aperta muito e é bem mais rígido do que o Ultra Boost. Lembro que a primeira vez que eu usei o 4D foi em fevereiro do ano passado em Dallas, eu sai para passear e tive que ficar tirando ele do pé toda hora porque ele apertava muito. Mas depois eu me acostumei com isso, ele deu uma laceada e aí eu comecei a realmente usar e comprar mais do modelo. Todos os 4D que lançaram no ano passado, eu tenho.

E porquê de todos da sua coleção você escolheu o Adidas Futurecraft 4D Onyx "Friends and Family"?

Eu sonhava ter ele um dia. Eu vi o diretor global de relacionamento da Adidas, o Jon Wexler, usando em um evento. Quando eu vi o post dele com esse tênis eu pensei na hora que precisava ter um, só que ele colocou muito claramente na legenda que esse tênis era Friends and Family. Pelo que eu soube na época, esse tênis foi somente distribuído para os parceiros da linha Consortium ao redor do mundo – então só amigos e artistas da Adidas tiveram acesso a esse tênis. Na época era um sonho para mim, ele era muito bonito, eu gostei muito da cor também.

Por meio de um contato lá na Polônia, que é um amigo meu sneakerhead, eu consegui comprar esse tênis. Ele me falou "eu só tenho esse par, você quer comprar?" eu não pensei duas vezes, transferi uma parte do valor para ele na hora e o restante eu mandei um tempo depois. Não vou mentir para vocês, foi o tênis mais caro que eu já paguei.

Dois ou três meses depois, a Adidas lançou ele para as lojas. O tênis teve pequenas mudanças, mal dá para perceber. O preço dele na época valia $2.000 ou $2.500 e caiu para $600. Mas de qualquer maneira eu não me arrependo, naquele momento eu tinha aquele valor. Esse tênis foi uma das minhas melhores aquisições do ano passado e por isso que ele é tão especial.

Adidas Futurecraft 4D Onyx "Friends and Family"
Comprado: 2018
Dono: Marcelo Huang
📸 Deko