“Meu nome é Everson e meu vulgo no meio do break, grafite e da cultura Hip Hop é Pateta. Atualmente trabalho como técnico de led em eventos. Danço break a mais ou menos 15 anos, grafito, sou VJ – tudo isso tem lá no meu perfil do Instagram (risos). Vivo da cultura Hip Hop e me considero um Bboy.”

Everson, qual a sua relação com tênis?

Quando era mais novo, criança, sempre via os caras andando de skate na rua, jogando basquete com os tênis de cano alto, os clipes dos rappers com vários tênis fodas, achava aquilo muito louco. A minha lembrança de um boot que mexeu comigo, que pensei: “preciso ter esse no pé” foi um Puma cano alto branco. Na época o comercial desse tênis era um puma pulando uma montanha com uns raios – os efeitos especiais daquela época dos anos 80 eram muito toscos – e do nada aparecia a puma, uma raio e POW, o tênis!

Nasci e fui criado em Guaianases, nunca tive condições de ter uns tênis legais, a minha mãe me dava uns tênis mas nunca era o que eu queria. Na minha adolescência andava de skate e a febre do momento era o Qix Evolution, todos os meus amigos tinham esse tênis, mas quem tinha ele era boy, os caras da minha quebrada roubavam para ter esse ai. Meu sonho era ter um desse e minha mãe nunca pode me dar, então eu sempre fiquei com essa parada de querer mas não conseguir ter os tênis, quando comecei a trabalhar o meu foco era comprar esse Qix.

Já dentro da cultura Hip Hop, comecei a ver os clipes de Black das antigas, de Rap gringo com os caras usando Air Force 1 branco no pé e eu só pensando: “mano, vou ter esse tênis um dia ainda”. Depois comecei a trampar e comprar os meus boots, comprava uns parecidos com os que eu gostava, mas quando consegui pegar o meu primeiro Nike de basquete – quem tinha tênis de basquete eram os fodas do rolê – só pensei: “agora eu sou o foda”.

Depois casei, tive um filho e comecei a comprar os meus boots mesmo. Eu já era viciado, comprava uns mais baratos como o Puma Suede e quando consegui o meu primeiro Air Force branco, a partir daquele momento, disse para mim mesmo que só iria usar os bootsque eu queria, foi aí que comecei a colecionar. E assim, sou muito metrossexual, passo uns perfumes, gosto de me arrumar, sou vaidoso, então o meu boot tem que combinar com a minha roupa, se não combinar não vou sair de casa. Toda vez que você trombar comigo em algum rolê, meu boot vai estar combinando com a minha roupa e para isso acontecer, preciso ter vários tênis.

Atualmente dei uma parada, estava gastando muito em tênis – teve vezes que comprei três Superstars ou três All Stars na mesma semana. Não precisava, só comprava porque estava barato mesmo, depois vendia. Mas assim, os que tenho eu uso mesmo, não deixo nenhum guardado e quando está envelhecendo, faço doação ou jogo fora. A única exceção é o meu primeiro Air Force branco que está todo destruído, com hidrólise, amarelado, mas esse vai ficar lá.

Qual é a sua história com o Puma Suede?

Comecei a dançar break no rolê, não conhecia antes e era o famoso bboy de salão, quebrava todo mundo, mas nunca dançava na cena dentro desse mundo. Comecei a praticar os movimentos, estudar a história do break e aprendi o que era Toprock, Footwork, Freeze. Um cara que era clubber e trampava comigo conhecia muito de música e me falou de um filme clássico dos bboys – o Beat Street, que tem a cena da batalha do Rock Steady Crew x NYC Breakers, com um lado patrocinado pela Puma e o outro pela Adidas. Danço Pop e no racha do filme, tem um cara que começa a dar uns Pop todo molão, com um moletom da Puma igual esse que estou usando, todo vermelho de suede, sempre quis ter um igual ao dele.

Esse suede eu comprei em 2014 numa época que ele tava em baixa, quase ninguém tinha Puma. Teve uma momento que a Hape, uma marca brasileira, pegou a forma de vários clássicos da Puma e eles vendiam por super barato lá na Galeria do Rock, assim comprei um desses que tinha o mesmo formato do suede. Depois de um tempão procurando, achei um Puma na loja de uma coreana e ela me vendeu por R$180 – na época era meio caro mas quando coloquei no pé, tive que levar. Já sai da loja com o tênis, comprei a calça e uma camiseta vermelha.

E para usar esse Puma? A primeira vez que sai fui em uma sorveteria com ele, pisando em nuvens porque esse suede não é nada resistente, você faz um footwork e ele já ralou. Quem é bboy de verdade, quando ouve uma música já começa a dançar, mesmo sendo no asfalto; pode estar sem treinar, mas vai dançar. Mas enfim, fui para a sorveteria e depois para a casa de um brother, comecamos a ouvir umas músicas, fiz uns toprocks e do nada fiz um footwork no chão, dando uma raladinha no meu tênis, brochei na hora. Parei de dançar – sou chatão, fico muito bravo em quem pisa no meu tênis e tudo mais. Até hoje quando meu filho pisa no meu tênis, ele olha para mim e fala “pai, me perdoa” (risos).

No começo eu levava o suede para chegar chegando nos rolês, mas tinha outro tênis na mochila para usar na hora de dançar. Esse Puma representa o estilo de vida do break, representa a vestimenta de um Bboy, ele vai usar um Puma suede, Adidas Superstar ou o All Star Chuck Taylor. E para mim o Hip Hop não é só um movimento. Meu amigo Juliopor exemplo, a gente se conhece por causa do Hip Hop desde os 15 anos, na época nem tínhamos bigode, mas a gente está aqui ainda.

E gostaria de falar para as pessoas pesquisarem mais sobre a cultura street, da cultura Hip Hop, dos Boombox e buscar conhecer mais do tênis que você usa. Todos os tênis que você tem, além do design atrás dele, tem uma história. O toprock, o footwork que faço, cada movimento tem uma história de o porque começou, de como começou.

Não me considero um sneakerhead, não tenho essa capacidade de ficar horas na fila para comprar um boot, mas tenho carinho sim pelos meus tênis. Tem muita gente fake na parada, tem muito sneakerhead que fica na fila, paga 2 conto no boot, mas não conhece a história e não tem amor pelo tênis. Quer comprar só para tirar uma foto, colocar lá no I Love Sneakers e depois revender, é tosco isso mano. Meu Puma suede está aqui quebrado e rasgado, mas a história eu conheço.

Puma Suede Classic
Dono: 
@eversonbboy_gangstyle
Comprado: 2014