“Meu nome é Mariane mas eu prefiro Mari e tenho 24 anos. Sou designer e trabalho em um pequeno estúdio. Sempre gostei da profissão, desde pequena meu pai me incentivou pra entrar na área.

Eu gosto de chocolate, pra caramba, eu gosto muito muito mesmo (risos). Se eu não tiver um chocolate eu não consigo fazer nada na minha vida, ele é muito essencial. Acho que o mais me define é isso: sou designer e gosto de chocolate. E ah! Tênis!”

Mari, qual a sua relação com tênis no geral?

Eu sempre usei tênis, desde pequena eu gosto de calçados confortáveis. Nunca aguentei usar nada que me incomodasse por muito tempo e gosto porque eu consigo usar com qualquer roupa possível, ele sempre dá uma complementada. Hoje em dia eu não tenho muitos modelos, já tive vários, mas antes eu tinha a cabeça de doar se eu não quisesse mais usar. Tinha um Nike que era muito legal e eu me arrependo hoje de ter doado ele.

Eu queria muito comprar vários modelos de tênis mas eu tenho dó de usá-los, então eu sempre acabo com os mesmos tênis velhos. Que no caso é esse e um outro que foi um complementar pra história que vou contar a seguir.

Mas você tem outros e deixa guardados ou você nem compra porque sabe que não vai usar?

Na verdade tem os dois casos, tem muitos tênis que eu não compro porque sei que vou ficar com dó de usar, que ele vai sujar quando chover e essas coisas. Mas tem outros que ficam guardados, tem um que eu nunca uso por dó e tem outro que eu só uso quando o dia está ensolarado e com cara de verão, eu não consigo usar ele no inverno. É muito doido isso (risos).

E qual a sua relação específica com esse Adidas?

Esse aqui eu comprei quando entrei na faculdade em 2010. Precisava de um outro tênis porque eu só usava Keds, e tava muito cansada de só usar isso, queria alguma coisa diferente. Encontrei esse aqui e na época foi ótimo porque estava em uma fase muito colorida da minha vida, então foi perfeito.

Eu usei ele por dois anos ininterruptos, depois em 2012 pensei “esse tênis é muito colorido, é feio, as pessoas vão ficar olhando e achando que eu sou muito feliz” eu achava ele muito colorido e fiquei sem usar por muito tempo. Até que um dia olhei a sapateira e reparei que ele estava muito sujo, pensei “nossa esse tênis é muito bonito, que bom que eu comprei ele na época” (risos). Porque agora eu não iria encontrar um tênis assim, então comecei a usar de novo e agora é um dos meus preferidos.

Você tem alguma história específica com ele?

Como sempre me senti bem com ele, pois é um dos tênis mais confortáveis que tenho, usava esse Adidas em todas as viagens.

Além de que quando comecei a tirar a minha habilitação fui na primeira aula com esse tênis. Eu tinha muito medo de fazer as aulas de direção então pensava “eu não posso mudar meu tênis, senão eu vou perder o ponto de embreagem, meu pé vai escorregar do freio, eu vou errar tudo. Sei que esse aqui tem uma boa aderência, então é isso ai”. Usei ele em todas as aulas de habilitação que fiz, e até durante um ano depois que tinha tirado a minha carta, só usei esse tênis pra dirigir. Quando tinha que dirigir eu só usava ele porque tinha medo que se mudasse alguma coisa eu ia bater o carro ou sei lá. Agora eu já consigo usar outras coisas, mas naquela época, era só esse.

Adidas Honey Grün Low W
Dona:@ma.risilva
Comprado: 2010
Tamanho: BR36/US7