FOTOS POR JULIO NERY

“Meu nome é Tico Aquino, tenho 34 anos e hoje sou product training da Adidas Originals, cuidando da parte de treinamento da Adidas Originals em nível Brasil. Viajo o país todo para dar esses treinamentos dentro dos pontos de venda e das lojas próprias da Adidas Originals. Trabalho com moda a aproximadamente 18 anos, comecei aos 14 em uma loja de surf e skate, depois fiquei bastante tempo no grupo BigBrands das marcas MCDGlobe e Lost; cuidava da parte de treinamento da Globe e MCD.

Em 2012 fui morarna Califórnia nos Estados Unidos para estudar inglês e vivi todo o lifestyle do skate e surf, que são duas coisas que gosto bastante. Da Califórnia fui para a Austrália, onde morei quase 2 anos e meio e pude conhecer mais da cultura street, que por lá é muito forte – lá inclusive tem uma das lojas mais lindas que já vi, a Culture Kings, é a loja com a maior parede de bonés que eu já cheguei perto na vida, tem mais de mil bonés! A loja é animal, vários rappers vão nela, dizem até que o Chris Brown é um dos sócios.

No final de 2014 eu voltei pro Brasil e entrei em um projeto para trabalhar em uma empresa que iria trazer algumas marcas para cá, dentro delas a StarterBillionaire Boys ClubIce CreamRocawear e Mitchell & Ness. A BBC e Ice Cream são as marcas de skate do Pharrell, foi aí que eu comecei a entender sobre o universo dele. Eu já gostava e acompanhava desde a época que ele fez o clipe de Beautiful com o Snoop Dogg, acho o Pharrell um cara completo, admiro muito ele. É um cara que não fica preso a um único universo, ele conversa com os skatistas, com o pessoal da moda, com pessoal da música, isso sempre me chamou a atenção.”

Qual sua relação com tênis em geral?

Minha relação com tênis começou como qualquer cara da minha geração, que teve a infância e adolescência nos anos 80 e 90. Sou da época que assistia NBA na Band com narração do Luciano do Vale. Via aquele time maravilhoso do Chicago Bulls com o Scottie Pippen, o Jordan, Dennis Rodman, Toni Kukoc que era gigantesco também; via o Charles Barkley jogando no Phoenix Suns; Patrick Ewing no New York Knicks; o Utah Jazz tinha o Karl Malone e John Stockton.

Eu não jogava basquete, mas gostava muito. Na época de escola eu queria muito um tênis de basquete e o primeiro que tive foi um do Scottie Pippen, que era todo preto com uns detalhes em branco e alguns detalhes em vermelho, além de ter também o logo do Bulls. Depois tive um do Patrick Ewing que tinha uma bola de basquete na língua, o tênis tinha as cores do New York Knicks – branco, azul e laranja. Foi assim que começou a minha história com tênis.

Depois trabalhei na Globe, uma marca Australiana que começou focada em calçado, a Globe Shoes, e aí que o amor só cresceu. Comecei a reparar em detalhes, produto, tecnologia, acabamento, pro models com atletas como Chris Haslam, Mark Appleyard, Ryan Decenzo, o brasileiro Luan de Oliveira que começou sendo atleta da Globe – pena que não teve nenhum pro model, mas ele saiu de amador e depois virou pro; então eu tive todo o contato com esses calçados.

E porque você escolheu o Pharrell Williams Tennis Hu Pk para o ensaio de hoje?

Um porque acho essa multicolor espetacular, é uma cor que se você para para analisar ninguém tem parecido e por ser de primeknit, que é o tricot tecnológico da Adidas. Quando voltei da Austrália, para o projeto de trazer aquelas marcas, BBC e Ice Cream, eles tinham um livro gigante com a biografia e história do Pharrell, os caras da gringa deram esse livro para gente estudar e ter como referência. Então comecei a entender todo o contexto que o Pharrell também anda de skate, gosta do esporte, ele tinha muita vontade de ter uma marca, então ele montou a Ice Cream e depois a BBC. Um fator muito importante que o Nigo, que foi um dos caras que criou a Bape, também desenvolveu a BBC com o Pharrell – eles são muito amigos até hoje.

Eles criaram também a Human Made e o Pharrell tem um lado bem humano, ele acredita que o ser humano é a coisa mais importante de todo o universo – por isso que os calçados dele chamam Human. Se você reparat, o logo que fica na língua do tênis é um triângulo com o “Hu” escrito no meio, com a mesma fonte utilizada na tabela periódica – como se fosse um elemento químico. O símbolo da igualdade também, todos os produtos em parceria com a Adidas tem o símbolo do igual porque pra ele todos os seres humanos são iguais.

Esse é um tênis que eu queria muito, o que mais queria era o NMD multicolor, não consegui, mas quando saiu esse, que é uma versão de um acesso um pouco mais fácil, eu peguei – essa cor é bem limitada, quando lançou acabou super rápido, não teve reposição, você só acha no mercado paralelo. É um modelo bem exclusivo e diferente, por isso que escolhi ele, tenho um carinho muito grande, até que só uso ele em ocasiões especiais.

Você tem alguma história vivida com ele?

Hoje em dia eu só uso ele quando vou dar treinamentos especiais, que estou com uma platéia, quando vou pra algum lugar que sei que ninguém vai pisar nele. Porque querendo ou não, é um tênis que tem essa pegada mais leve e “sutil”, então tenho um cuidado maior e outra, se ele estragar, dificilmente vou ter outro igual. Pra você ter idéia, eu nunca vi ninguém usando um.

Tem algum sneaker que você gostaria de ter algum dia?

Eu gosto de tênis que ninguém tem, então por exemplo essa coisa do “hype”, acho bacana mas é um uniforme – no final todo mundo tá igual, com a sua bolsinha, camiseta da Supreme e um Yeezy no pé. A Palace por exemplo, que é uma marca de skate europeia, conheço essa marca a um bom tempo já e ninguém nunca tinha falado dela – e do nada veio o boom, tava todo mundo usando.

Não tenho esse negócio de ter um sneaker dos sonhos, só se fosse pra ter uns bem antigos como o M2000, Le Cheval, Dharma, eram tênis que na época eram baratos mas que hoje seria do caramba de ter.

Adidas Pharrell Williams Tennis HU Primeknit
Comprado: 2017
Dono: @ticoaquino83
@julioneryy